Conte sua Histórias

Minha vida como trabalhadora começou aos 18 anos de idade, sei que existem pessoas com a vida muito mais precária que já começam a pegar no batente bem antes disso. Comecei como babá de uma família que tinha raízes e parentes em Portugal. Nessa época, entre os meus turnos eu sonhava em viajar para a Europa, mas para minha condição, tudo aquilo era muito distante.

Nessa época eu morava com meus pais e já ajudava com meu pequeno salário em casa, por isso, meu trabalho sempre foi muito importante. Apesar do baixo salário, eu sempre fui bastante batalhadora e não me sobrava muito tempo para ter preguiça.

Além de visitar a Europa, minha caixinha de sonhos era bem cheia. Queria ter meu apartamento, um carro zero e ainda bem vestida. Como você pode ver, eu projetava toda a minha vida na minha cabeça de 18 anos.

Apesar de ser algo bem distante, sempre sonhei que conseguiria tudo que eu quisesse, por isso, era mais uma meta que um sonho. O tempo foi passando e fui buscando novas oportunidades com salários melhores que me deixassem mais próxima dos meus objetivos de vida.

Nesse período entrei em uma revendedora de gás como secretária e depois de trabalhar muito, consegui meu primeiro cargo de gerente. A partir disso, os objetivos começaram a se realizar. Há 6 anos moro no meu apartamento mobiliado com meu carro na garagem.

Mas e as viagens? Sim, elas não poderiam ficar de fora. Nesse meio período conheci lugares como Bolívia, Santa Cruz de lá Sierra, Rio de Janeiro, Curitiba, praia de Guaratuba, João Pessoa na Paraíba, Paraguai e São Paulo. Mas a Europa ainda era mais sonho latente e eu não iria desistir.

No final de 2016, comecei a procurar roteiros, fazer cotações e nessas pesquisas encontrei um Grupo de viagens nas redes sociais. Fiquei surpresa com a ideia pois nessa época eu tinha bastante medo de viajar sozinha e o idioma também era algo que sempre me deixava com o pé atrás. Por isso, viajar em grupo era a ideia perfeita para o meu caso, fiquei extremamente ansiosa e quase entrei em depressão com a dúvida na cabeça, se iria ou não e se o grupo era sério. Afinal, não poderia desperdiçar meu suado dinheirinho e cair em uma roubada.

Depois de muita conversa, consegui a confiança que precisava e fechei a viagem. Pronto, já não era mais um sonho e nem uma meta. A contagem para os dias havia acabado de começar. Nesse período, comecei a cortar todos os gastos desnecessários que eu tinha para que pudesse juntar mais dinheiro para aproveitar. Afinal, não é todo dia que você visita a EUROPA.

Cortei o salão de beleza, fazia minhas unhas, dava minhas faxinas, fazia lanche em casa, lavava o carro, tudo isso para economizar. Um dos vícios mais difíceis foi parar de comprar roupas, mas só para constar, eu sobrevivi 😍. Parei também de comprar cosméticos caros, e descobri que é possível viver perfumada sem precisar de perfumes importados. 😂

Sim, foi difícil, mas o prazer de ver o meu dinheirinho de viagem no fim do mês compensa tudo. 😍😍😍😍

Hoje, sou uma apaixonada por viagens, defendo a compra de experiências mais que tudo na vida. O que eu aprendi com tudo isso? Apendi como é bom me sentir viva, descobrir meus limites, ser feliz, ser livre.

2 Comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário